HubIC dá seus primeiros e sólidos passos

hubIC apresenta titular da Cátedra Ary Torres

Professor Rafael Pileggi entrevista o professor Kamal Khayat, titular da Cátedra Ary Torres, do hubIC

O hubIC – Inovação e Construção Digital promoveu na manhã desta sexta-feira, 21/05, um bate-papo informal com o novo titular da Cátedra Ary Torres, o professor Kamal Khayat, da Universidade de Missouri, EUA. No encontro virtual, coube ao professor Rafael Pileggi, Coordenador do Laboratório de Microestrutura e Ecoeficiência de Materiais (LME) da POLI | USP, entrevistar o professor Khayat, que destacou a oportunidade do consórcio formado pela POLI USP, ABCP e SNIC lembrando de sua própria experiência com um hub de 17 empresas. “Trabalhar em conjunto é um processo rico, que acelera o desenvolvimento”, observou.

O professor Khayat possui uma sólida carreira acadêmica em Quebec, Canadá, onde permaneceu por 21 anos, e integra o corpo docente da Universidade de Missouri desde 2011. Tem como focos de pesquisa: projeto e desempenho de materiais avançados de construção e reparo, incluindo concreto de alto desempenho; reologia e trabalhabilidade de materiais à base de cimento; otimização de aditivos químicos e materiais cimentícios complementares e cargas para concreto; microestrutura de materiais à base de cimento; valorização de subprodutos industriais e agregados reciclados em concreto; reforço de fibra; reparação e reabilitação de infraestruturas de engenharia civil; desenvolvimento de novos métodos de teste para avaliar a reologia e trabalhabilidade de materiais à base de cimento; e instrumentação e monitoramento da integridade estrutural de estruturas, entre outros temas.

Confira aqui a entrevista pelo YouTube

hubIC, em parceria com o CICS, inicia o programa Aliança Construção Modular

Iniciativa visa promover e incentivar inovações em construção modular, além de identificar oportunidades e desafios para o setor

O hubIC – em parceria com o Centro de Inovação em Construção Sustentável (CICS USP) e o HousingPact – realizou nesta sexta-feira, 30/04, a primeira reunião de trabalho do programa Aliança Construção Modular. Coordenado pela professora Ercília Hirota, a Aliança visa promover e incentivar as inovações em construção modular na cadeia da construção civil, além de identificar oportunidades e desafios para o setor.

O evento virtual contou com a participação de aproximadamente 70 profissionais, representando 36 empresas, que puderam expor os desafios enfrentados por suas organizações no mercado da construção modular e as oportunidades e expectativas vislumbradas com relação à Aliança Construção Modular.

A criação da Aliança permitirá que seus integrantes participem de uma interação internacional congênere, formada pela ZEMCH Network, pelas universidades de Alberta (Canadá) e Melbourne (Austrália), pelo HousingPact, pelo CICS e pelo próprio hubIC. Essa rede pretende identificar barreiras e oportunidades que subsidiarão a elaboração de um Roadmap do setor e um mapa da cadeia de suprimentos. A Aliança atuará também na formação de recursos humanos por meio de cursos, ações de P,D&I Consorciado e visitas técnicas.

Metodologia

Uma vez apresentada, a Aliança terá reuniões mensais intercaladas com atividades de formação para profissionais diretamente envolvidos com projeto e produção; encontros no formato de oficina, para elaboração do Roadmap (junho a agosto); atividades de difusão e capacitação por meio de webinars e cursos de curta duração (maio a dezembro); e meetings on-line em temas específicos identificados no Roadmap, além de viagens de estudo (em 2022).

Sobre o CICS USP

O Centro de Inovação em Construção Sustentável é um ecossistema de empresas e academia dedicado a acelerar a inovação, a sustentabilidade e a produtividade na construção civil. Fazem parte do CICS professores, pesquisadores, estudantes da USP e de outras universidades, bem como profissionais da indústria capacitados na resolução de problemas relevantes de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

Sobre o HousingPact

O HousingPact é um programa que teve início em 2019 com o objetivo de levar produtos e serviços acessíveis da cadeia estendida e moradia para a população de baixa renda por meio da colaboração com grandes corporações do setor e startups com soluções inovadoras.

 

Reunião inaugural da Aliança Construção Modular

Perguntas e Respostas sobre o hubIC

Perguntas e respostas sobre o hubIC

Deseja saber mais sobre o hubIC? Consulte respostas para algumas perguntas frequentes. Se ainda tiver dúvidas, faça um contato pelo e-mail hubic@hubic-vpssiteofi1.websiteseguro.com.

Se quer ser parceiro, acesse aqui a página da Coordenação do hubIC.

 

  • O que é o hubIC e qual seu objetivo?

R.: O hubIC – Inovação e Construção Digital é um ambiente cooperativo focado em inovação de base de engenharia, um espaço gerador de projetos de inovação deep tech para o setor da construção civil. O objetivo é catalisar, desenvolver e implementar soluções inovadoras de construção digital, em particular para a cadeia de valor do cimento, em um nível pré-competitivo, para que possam ser aplicadas no mercado.

 

  • Quem são os responsáveis pelo hubIC?

R.: O projeto é uma parceria entre a USP (Universidade de São Paulo), por meio da Escola Politécnica, e a indústria do cimento, por meio da ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland) e do SNIC (Sindicato Nacional da Indústria do Cimento).

A indústria do cimento e a área acadêmica desfrutam de uma parceria histórica para o desenvolvimento de projetos de pesquisa e de uma excelente estrutura laboratorial. Além disso, a POLI/USP tem grande tradição em desenvolver projetos com a iniciativa privada e a ABCP, vocação para desenvolver soluções para o mercado por meio de  projetos integradores da cadeia produtiva.

 

  • Quem pode participar do hubIC?

R.: Todas as empresas atuantes na área da construção civil – ou ligadas a ela – que tenham por objetivo fortalecer ou desenvolver projetos de P,D&I aderentes aos objetivos do hubIC.

 

  • O que o hubIC oferece aos membros participantes?

R.: Além do ambiente voltado à formação de consórcios de P,D&I, o hubIC oferece como estrutura inicial um laboratório para impressão 3D de concreto, em escala real, um espaço de coworking, a cátedra Ary Torres e um programa de educação continuada, com bolsas de pesquisa e cursos voltados à formação e à educação continuada em inovação tecnológica. Como produto final, os projetos desenvolvidos devem resultar em inovações de nível pré-competitivo.

 

  • Como se dá a sustentação financeira dos projetos?

R.: Por ser um ambiente cooperativo, o hubIC busca reunir empresas, instituições e profissionais da cadeia produtiva da construção para a definição e desenvolvimento de projetos de P,D&I, os quais são custeados em regime de consórcio pelos próprios membros participantes. Ao manifestar o interesse em participar do hubIC, a empresa firma um termo de compromisso que prevê uma contribuição financeira mensal e a indicação de um profissional, que representará a empresa tanto nos grupos de trabalho como nas ações de capacitação (o termo de compromisso traz mais detalhes sobre direitos e deveres do participante).

 

  • Como é a estrutura laboratorial do hubIC?

R.: USP e ABCP partilharão no hubIC sua estrutura laboratorial, assim como horas da equipe técnica, para fins de pesquisa e inovação.

 

  • Onde está instalado o hubIC?

R.: O laboratório 3D e o coworking, que compõem a estrutura básica do projeto, funcionarão no edifício já partilhado pela ABCP/USP, no bairro do Jaguaré, em São Paulo, SP (veja mapa).

 

  • Por que trabalhar em regime de consórcio de P,D&I?

R.:  A preparação da indústria da construção e do cimento para a indústria 4.0 requer a superação de barreiras tecnológicas com ganhos incrementais de qualidade e produtividade. A experiência do Consórcio Setorial de Inovação em Tecnologias de Revestimentos em Argamassas (CONSITRA), que, liderado pela POLI USP e pela ABAI (Associação Brasileira de Argamassas Industrializadas) contou com o engajamento da ABCP e de outras associações, mostra que um esforço de pesquisa pré-competitiva, embasado em um diagnóstico adequado, pode trazer grandes ganhos de qualidade, melhoria de normalização técnica, desempenho técnico e ambiental, além de melhoria de condições de trabalho com ganho real de competitividade. Este é um modelo a ser seguido no hubIC, cujas iniciativas de pesquisa, desenvolvimento e inovação estarão sempre apoiadas em consórcios setoriais – ou seja, no esforço conjunto dos diversos elos da cadeia produtiva, para que os produtos finais resultem em eficiência e eficácia do setor como um todo.

 

  • Por que ter um coworking?

R.: O conceito de coworking – ambiente de trabalho compartilhado – possibilita a troca de conhecimento e estimula novas conexões entre usuários de mesmos perfis profissionais ou com características multidisciplinares. O espaço está instalado no primeiro pavimento do edifício da ABCP/USP e conterá três salas multiuso, duas cabines acústicas e um escritório compartilhado para 32 usuários simultâneos.

 

  • Como será a oferta de cursos (educação continuada)?

R.: Com base na extensa atividade de educação continuada da ABCP e da USP, o hubIC buscará desenvolver uma plataforma de cursos digitais, incluindo vídeo aulas, para suporte de cursos de graduação e também oferta de cursos de educação continuada. O foco principal da grade será a capacitação para o desenvolvimento, uso de produtos e soluções inovadoras, sustentabilidade, qualidade e produtividade. A distribuição do conteúdo será feita pelos canais da USP, como o CICS, pela ABCP e pelos parceiros, sendo o material preferencialmente disponibilizado dentro do padrão Creative Commons.

 

  • Qual é a linha adotada para a Cátedra Ary Torres?

R.: Com foco em digitalização da construção, a Cátedra Ary Torres (professor da USP que foi um dos fundadores e primeiro presidente da ABCP) visa atrair profissionais externos à USP que sejam reconhecidos pela excelência técnico-científica e pelo arrojo de suas ideias, para que proponham e coordenem planos de atividades relacionadas a educação, pesquisa e inovação dentro do escopo definido. O catedrático escolhido anualmente terá como desafios: organizar eventos, inclusive cursos de graduação, produzir material didático, sugerir e participar de projetos e redes de pesquisa, desenvolvimento e inovação, bem como realizar atividades de difusão. O modelo contempla o recebimento de bolsa e ajuda de custo compatível com o programa.

 

  • Qual é o planejamento adotado em 2021?

R.: A Jornada de 2021 do hubIC se estenderá de abril a novembro, com dois eixos:

  1. Projeto de pesquisa e inovação capaz de atingir o nível pré-competitivo;
  2. Jornada de aprendizagem, com curso de inovação dado pela USP, palestras, eventos e contatos com startups.

A jornada contempla a formação de três grupos de trabalho, que atuarão com a seguinte metodologia: ideação, benchmarking, definição de oportunidades, roadmap e prioridades.

 

  • Se minha empresa aderir ao hubIC, é garantido que será desenvolvido o projeto de pesquisa do meu interesse?

R.: Não. Os projetos de P,D&I serão definidos pelo consórcio participante a partir dos problemas apresentados por todos na fase de ideação e depurados depois nas fases seguintes da metodologia (funil). Vale dizer que as propostas para um novo projeto serão avaliadas pelo conjunto dos participantes à luz dos objetivos do hubIC, que prioriza as inovações deep tech, de base de engenharia, com potencial de atingir o nível pré-competitivo de mercado.

IBRACON ABRE O 62º CBC

O Ibracon (Instituto Brasileiro do Concreto) inaugurou nesta terça-feira, em encontro virtual a partir das 18h30, o 62º Congresso Brasileiro do Concreto, que este ano tem por tema o “Uso e Operação de Estruturas de Concreto” e se realiza entre 30 de março e 02 de abril de 2021. Em um ano atípico e tomado pela pandemia de Covid-19, o instituto homenageou engenheiros falecidos no último ano, como o professor Augusto Carlos Vasconcelos, Egydio Hervé Neto, Shunji Takashima, Eduardo Barros Millen, Shido Ogura e Ruy Baillot. Quase 400 participantes assistiram ao evento inaugural, que contou com breve manifestação dos presidentes das principais entidades do setor na área do concreto: ABCIC, ABCP, ABECE, ABESC, ABNT, ABRATEC e ALCONPAT Brasil.

O presidente da ABCP e do SNIC, Paulo Camillo, destacou que “o setor enxerga a importância do evento como ponto de encontro técnico e científico na promoção dos sistemas construtivos à base de cimento e concreto. Tanto que nossas associadas Apodi, Votorantim, LafargeHolcim e InterCement estão presentes como patrocinadoras do congresso”. Ele lembrou dos números positivos da indústria em 2020 (crescimento de 11% em relação a 2019), mas ressalvou que as perspectivas para 2021 não são tão promissoras (crescimento projetado em 2%), salvo se a campanha de vacinação for bem-sucedida e houver a aprovação das reformas estruturantes, principalmente tributária e administrativa.

Paulo Camillo enfatizou também o empenho da indústria do cimento na área ambiental, por meio do Roadmap Brasil, ao buscar substituir 55% do combustível fóssil por combustível alternativo até 2050. “Para isso, contando com o apoio do governo federal, nossa entidade modernizou em 2020 o marco regulatório do coprocessamento, que estava defasado em mais de 20 anos”. Por fim, ele destacou o convênio da ABCP/SNIC com a Escola Politécnica da USP para criação do hubIC, “que constitui um marco na promoção do desenvolvimento tecnológico e da inovação no setor”.

ABERTURA DOS TRABALHOS

O evento contou com a apresentação inaugural do professor Paulo Helene, presidente do Ibracon, que agradeceu aos dedicados profissionais e acadêmicos que colaboram com o congresso revisando e selecionando centenas de trabalhos concorrentes. Neste ano,  serão 117 artigos científicos selecionados, além de seminários técnicos, palestras de convidados internacionais e o lançamento de 5 práticas recomendadas para estruturas de concreto chanceladas pelo instituto. (Confira aqui a programação)

Na apresentação “Sobre a Arte de Construir e Projetar Estruturas – Uma reflexão”, Paulo Helene destacou a consolidação do uso do cimento e do concreto no país. Observou que tais avanços resultam da constante atenção dos profissionais e estudiosos brasileiros aos avanços tecnológicos pelo mundo e comentou: “Com a Covid ficou claro para o Brasil a importância da ciência e da tecnologia. No concreto também precisamos investir em ciência e tecnologia para ter a qualidade de vida que ele proporciona em obras”.

Por meio de um texto subscrito pelo professor Vahan Agopyan, reitor da USP, Paulo Helene também citou a oportunidade da criação do hubIC como exemplo de busca de inovação. “A gente precisa investir em ciência e tecnologia sempre, e os setores privado e publico precisam estar conectados”. 

O evento inaugural do 62º Congresso Brasileiro do Concreto foi concluído com a tradicional entrega das premiações aos engenheiros que se destacaram no ano anterior. O congresso prossegue até o dia 02 de abril com sua programação. Faça aqui sua inscrição.

Conversa com hubic – segundo dia

Segunda edição virtual do evento reúne quase 40 empresas e instituições do setor

ABCP/SNIC e POLI/USP fizeram nesta terça-feira, 09/03/2021, a segunda rodada de apresentação do hubIC – Inovação e Construção Digital. Lançado em setembro de 2020 e implantado em janeiro deste ano, o projeto apoia-se na constituição de consórcios para o desenvolvimento de inovações de base de engenharia voltadas a soluções pré-competitivas na indústria da construção.

Como na primeira edição do encontro virtual, realizada em 04/03, um seleto grupo de empresas e instituições do setor foi convidado a conhecer a iniciativa, que tem manifestação de interesse de pelo menos 80 empresas.

Deste segundo encontro participaram 66 profissionais, de 38 empresas e entidades:

4constru (Latina Group), ABCP, ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), ABRASFE (Associação Brasileira das Empresas de Sistemas de Acesso, Fôrmas e Escoramentos), ArcelorMittal, Belgo Bekaert Arames, Bloco Brasil, Cidadela, Cimento Nacional, Construtora AP Ponto, Construtora Tarjab, Construtora Tenda, CR80, Direcional Engenharia, Engemolde, Espaço e Tempo Arquitetura, Estruturar Engenharia de Projetos, F A Oliva, Forsa, França e Associados, Gerdau, Hirata e Associados, Impacto Protensão, Intercement, Leonardi Construção Industrializada, Matec Engenharia, MC Bauchemie, MF Artefatos de Cimento, Pasqua e Graziano, Precon, Síntese Acústica, T&A, Tarjab, Tecnisa, Tecnum, USP e Votorantim Cimentos.

O projeto terá ainda uma terceira rodada, em data a ser agendada.

Veja aqui o que foi tratado no primeiro dia.

Conversa com hubIC

Em sua primeira edição, evento reúne mais de 60 profissionais da cadeia produtiva, interessados no hub de inovação e construção digital liderado pela POLI USP-ABCP/SNIC

Lideranças da POLI/USP e da ABCP/SNIC promoveram nesta quinta-feira, 04/03/2021, a primeira rodada de apresentação do hubIC – Inovação e Construção Digital, projeto que pretende catalisar, desenvolver e implementar iniciativas de inovação de base de engenharia, foco da parceria entre as instituições.

“A ideia do evento é apresentar o hubIC e projetar uma jornada de oito meses”, disse na abertura do encontro virtual a arquiteta Diana Csillag, membro do staff do hubIC e do CICS/Poli USP (Centro de Inovação em Construção Sustentável). Ela informou que existem mais de 80 empresas interessadas na iniciativa e por isso o projeto seria apresentado em três rodadas.

O primeiro encontro reuniu 66 participantes, representando as seguintes empresas e instituições:

ABCIC, ABCP, ArtSpray, Brasil Minérios, CBMM, Cimento Apodi, Cimento Itambé, Construliga, Construtora Carrilho, Construtora Pacaembu, Engest, Eternit, Even, EZTec, FF Sarao Consultoria, Gabriel Bacelar, GCP, IAC, PUC-GO, Ibracon, Ibratin, Infibra, LafargeHolcim, Lanxess, Liebher, Metacaulim, Monobeton, MRV, Nitrocrete, POLI-USP, Pontal Engenharia, RKM Engenharia, Rogga Empreendimentos, SH Formas, Sika, Sinduscon-PE, SNIC, Tecomat, Vale e Votorantim.

Inovação de base de engenharia

Para Valter Frigieri, diretor de Mercado da Construção Civil da ABCP e um dos coordenadores do hubIC, o ambiente proposto é diferenciado, pois foca em inovação de base de engenharia. Ele lembrou da capacidade dos parceiros USP e ABCP, consolidada por uma parceria histórica, e da estrutura laboratorial de ambos. Destacou ainda a tradição da POLI de desenvolver projetos com a iniciativa privada e da vocação da ABCP de desenvolver mercado por meio de  projetos integradores da cadeia produtiva.

Os organizadores mostraram os principais aportes de recursos feitos até o momento (laboratório para impressão 3D de concreto, em escala real, cátedra Ary Torres, bolsas de pesquisa e espaço de coworking) e convidaram o grupo presente a aderir ao projeto. “Estamos convidando stakeholders para criar um espaço gerador de projetos de inovação hardtech no setor da construção civil”, enfatizou Frigieri.

Ao definir o conceito de deeptech, necessário no setor da construção, o professor Vanderley John, coordenador do hubIC pela POLI USP, disse que “a produtividade na construção não vai aumentar apenas se implementarmos o BIM ou aumentarmos o grau de digitalização dos processos. Temos problemas tecnológicos. A pouca cultura que temos de inovação é aperfeiçoar software e apps. No caso da construção, o desafio é maior, pois qualquer decisão representa grandes recursos investidos. A resposta para isso é a formação de consórcios”, defendeu.

Jornada 2021

A Jornada de 2021 do hubIC se estenderá de abril a novembro, com dois eixos: um eixo de projeto de pesquisa e inovação até se chegar a um projeto competitivo; e outro que é a jornada de aprendizagem, com curso de inovação dado pela USP, palestras, eventos e contatos com startups. A jornada contempla três grupos de trabalho que atuarão com a seguinte metodologia: ideação, benchmarking, oportunidades, roadmap e prioridades.

Veja como foi o evento (vídeo):

Perspectivas para a inovação

Diretor da ABCP fala sobre contexto, dificuldades e possibilidades de avanço na construção civil por meio do hubIC

“Firmamos uma parceria estratégica com a Universidade de São Paulo e criamos um hub de inovação (hubIC) que terá infraestrutura para pesquisa, para acolher startups, desenvolver a construção digital, acessar pesquisadores internacionais e acessar recursos financeiros para projetos inovadores.”

A declaração foi dada pelo diretor de Planejamento e Mercado da ABCP, Valter Frigieri, em entrevista exclusiva à revista Abrasfe InForma (edição 3), que trata do setor de fôrmas e escoramentos utilizados em estruturas de concreto moldadas in loco.

Acompanhe a seguir a íntegra da entrevista:

Revista Abrasfe-inForma 3 - jan_fev22_Entrevista_Valter

Cements 2021 – 11th Advances in Cement-Based Materials

>> SUBMISSÃO DE TRABALHOS ATÉ 30/03

Sua pesquisa está focada em materiais sustentáveis à base de cimento? Compartilhe-a com seus colegas.

Envie um resumo para a 11th Advances in Cement-Based Materials (Cements 2021), que acontecerá como uma reunião virtual, de 23 a 25 de junho de 2021.

A Cements 2021 é organizada pela Divisão de Cimentos da ACerS (American Ceramic Society). Saiba mais em https://ceramics.org/event/11th-advances-in-cement-based-materials-2

Como apresentador, o palestrante fornecerá um vídeo pré-gravado de sua apresentação. As sessões-pôsteres devem ser enviadas como arquivos PDF. Os detalhes virão posteriormente, após o encerramento das submissões dos resumos.

Compartilhe suas últimas descobertas em materiais à base de cimento.

O programa técnico da Cements 2021 inclui palestras pré-gravadas e apresentações pôsteres nos seguintes assuntos:

  • Química, processamento e hidratação do cimento
  • Técnicas de caracterização de materiais
  • Materiais cimentícios complementares e alternativos
  • Redução de emissões de CO2 na indústria de cimento
  • Avanços em reologia
  • Fabricação de aditivos usando materiais cimentícios
  • Ciência dos materiais computacionais
  • Materiais e sensores inteligentes
  • Nanotecnologia em materiais cimentícios
  • Materiais cimentícios bioinspirados
  • Modelagem de durabilidade e vida útil
  • Teste não destrutivo

 

Inscreva-se aqui.

ROC & TOK

Organizado pela professora Barbara Lothenbach, líder do Grupo de Química e Termodinâmica do Cimento, Empa, Suíça, o webinar ROC & TOK, realizado dia 4 de fevereiro de 2021, às 14h UTC (GMT + 0), abordou o tema “Modelagem termodinâmica: uma ferramenta para entender os cimentos hidratados”.

Ambientes